Marcos Clark. Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Berlim



Descobri que ser miserável dá muito trabalho.

Ter de achar defeitos em si, questionar os problemas dos outros, procurar defeitos e tramar vinganças estruturadas.
Percebi que todo esse tempo que perdi tentando ser frio e distante me tornou realmente uma pessoa fria e distante.
Isento de sonhos.


Sei que muita gente virá e dirá que devemos ser rudes porque o mundo será rude conosco, que sempre apanhamos e somos apunhalados pelas pessoas que achávamos que podíamos confiar.
Que o mundo é injusto e ruim.
Infelizmente isso é verdade.
Você sofrerá, será traído, será apunhalado, julgado e condenado.
Mas a maneira de lidar com isso só depende de você.


É fácil demais guardar rancor, ódio e raiva.
Eu amava essas três coisas como se elas realmente fossem tão importantes.
Faziam-me sentir vivo, sem que eu percebesse que estava perdendo tempo e morrendo aos poucos.
Não por culpa de quem me fez sentir isso, mas por única e exclusivamente culpa minha.
Sempre esperei demais das pessoas, por me doar demais e achava realmente que não merecia esse tipo de coisa.


Fui traído, apunhalado, mas isso me fez lembrar que eu também trai e apunhalei muita gente.
Eu só tive aquilo que eu merecia, mesmo sem merecer naquele momento.
Se não fosse hoje, seria amanhã.
Cedo ou tarde eu teria tudo o que fiz em retorno.
Isso funciona pra mim e pra você.
Acredito que quem apunhalou também será apunhalado, é a lei da vida.
Só não quero ser o carrasco, muito menos o juiz.

A cada frustração, me escondia dentro de uma muralha indestrutível e impenetrável.
Isolando-me de tudo e de todos, achava-me protegido.
Não estava.
A muralha me protegia do mundo, mas me colocava cara-a-cara com meu pior inimigo, eu mesmo.
O espelho em que obriguei-me a olhar retratava toda a solidão onde me encontrava.
Protegido de todo o mal, mas jogado a solidão.
Uma solidão comprada, construída tijolo por tijolo numa luta desleal contra o mundo.


Podem falar o que desejarem falar, estamos todos aqui pra ouvir e aprender.
Só não me venha reclamar da solidão.
Ninguém é só por estar só,
A solidão reside dentro do ser humano, e não no desdém das pessoas.
Assim como a felicidade reside dentro de você, e não ao redor das coisas que você deseja.


5 Comente aqui:

@Bode9 disse...

Cara, o Segundo parágrafo está ótimo. vou até postar e indico seu nome la no twitter. As pessoas merecem ler mais coisas desse tipo. Quem faz o mundo somos nós não os outros, os outros fazem parte do NOSSO todo. Maravilhoso texto.

Katzuki disse...

Incrível os fatos óbvios tomarem tanto espaço de nós com preocupações irrelevantes.
Somos responsáveis por tudo, até o que não está em nossas mãos..

Jaci Macedo disse...

Leio muitos blogs, alguns que até descobri pelo Twitter, como o seu. Alguns textos mexem comigo de uma forma indescritível. São poucos, mas existem. O seu acabou de entrar para esse rol seleto. Nunca li palavras tão sinceras sobre algo que muitas vezes não conseguimos descrever. A velha prática do que vai, volta é eterna e universal. E muitas vezes a gente vai se fechando dentro de nós mesmos por não aguentarmos mais todas essas coisas que machucam pra valer. E concordo com o que disse no último trecho do teu texto:"A solidão reside dentro do ser humano, e não no desdém das pessoas.
Assim como a felicidade reside dentro de você, e não ao redor das coisas que você deseja."
Parabéns, de verdade.

Juan Franco disse...

Ta quase um Bukowski hein Clark... hahahah

Textos tão Shows cara, abraço..

Larissa Cabelo disse...

Somos nossos próprios carrascos... sempre.

Postar um comentário

  ©Juventude Envelhecida - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo